Justiça proíbe internação compulsória de usuários de crack em São Paulo

Nesta terça-feira (30), um desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou a decisão que proíbe a internação compulsória de usuários de crack. Do outro lado, a Prefeitura de São Paulo promete ir até ao Supremo Tribunal Federal, se for preciso, para conseguir internar os dependentes. E, de acordo com a Guarda Civil, já tem de 500 a 600 viciados em crack na Praça Princesa Isabel, o que seria praticamente o mesmo número da antiga Cracolândia.