Ministro Edson Fachin autoriza PF a interrogar o presidente da República

O relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin, decidiu separar as investigações do senador afastado Aécio Neves do inquérito do presidente Michel Temer e do deputado afastado Rodrigo Rocha Loures. A Procuradoria-Geral da República acusa Temer, Aécio e Loures de corrupção, organização criminosa e obstrução à Justiça com base na delação da JBS. De acordo com o que disseram os donos da empresa, o presidente Temer teria incentivado o empresário Joesley Batista a pagar pelo silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, que está preso em Curitiba. A Polícia Federal fará interrogatório por escrito a Michel Temer, que terá 24 horas para responder às perguntas.