Plano de segurança para o Rio descarta Forças Armadas nas ruas

O Plano Nacional para conter a violência no Rio de Janeiro, apresentado nesta quinta (27) pelo Ministério da Defesa, aposta no efeito surpresa e na inteligência para enfraquecer o crime organizado, mas descarta a ocupação em comunidades e o aumento efetivo já presente no Estado. As Forças Armadas devem ficar em alerta em caso de reação violenta dos criminosos. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, não quando começam ou terminam as operações. Horas antes da reunião, homens armados de fuzis explodiram um caixa eletrônico em Bonsucesso, na zona norte do Rio.